Skip to content

Os brasileiros em Sevilla

01/12/2008

bz2Glenda Dimuro
Sevilla, España
 

 

Acho que não existe um canto neste mundão onde não se encontre um brasileiro ou uma brasileira. Em quase todas as minhas viagens pela Europa encontrei alguém falando português (do Brasil), principalmente nas cidades mais turísticas.

O fenômeno da migração de brasileiros para o exterior é relativamente recente e existem poucas estatísticas, mas dizem que os Estados Unidos lideram o ranking com mais de 610 mil imigrantes (legais). Quem pensa que os olhos daqueles que querem deixar nossa terra natal estão voltados apenas para a Europa, se engana. O segundo país mais procurado pelos brasucas é o Paraguai (325 mil), seguido Japão (170 mil – segundo a Associação Brasileira de Emigrantes esse número seria 260mil). Na Europa, o país com mais brasileiros vivendo em seu território é a Alemanha (mais de 23 mil). Portugal ocupa a segunda posição, depois Inglaterra, Itália, Espanha e França.

Legalmente, mais de 12 mil brasileiros vivem na Espanha atualmente. Imagino que a maioria esteja espalhada por Madrid e Barcelona, mas em Sevilla também esbarro com alguns.

Desde que cheguei aqui, sempre me relacionei com brasileiros, mas não apenas com brasileiros. Acho ótimo conhecer novas pessoas, não importa a sua nacionalidade. O primeiro conselho que recebi de um amigo (brasileiro), que já vivia aqui há mais tempo, foi de não entrar para o “gueto” e selecionar as amizades. Falou ainda para cuidar com os “sin papeles” (ilegais) que costumavam ser gente baixo astral. Bueno, sempre selecionei minhas amizades no Brasil e aqui não seria diferente, não faz falta conselho. Escolho minhas amizades por afinidades, companheirismo e lealdade, por nada mais. Com certeza é muito mais fácil se relacionar com pessoas da mesma nacionalidade, mas se queres realmente viver a cultura de outro país não deves te limitar aos “teus”.

Tenho amigos brasileiros de todos os cantos: gaúchos, paulistas, mineiros, baianos, pernambucanos, maranhenses… Cada um está aqui por algum motivo diferente: estudo, trabalho, amor. Já convivi com gente ilegal que nunca perdeu o bom humor e também gosto muito de ajudar o pessoal que está chegando, tento responder tudo que me perguntam e auxiliar no que for preciso e estiver ao meu alcance. Fui apoiada quando cheguei e me sinto bem retribuindo a ajuda.

Os motivos que trazem os brasileiros à Sevilla (e imagino que a qualquer lugar) caracterizam também a forma de levar a vida. Os estudantes são sempre mais relaxados, principalmente os de intercâmbio, na maioria das vezes não trabalham e passam a maior parte do tempo fazendo festa ou mochilão pela Europa. Estudo que é bom, bem pouco! Aqueles que não recebem ajuda financeira resolvem trabalhar em qualquer coisa, normalmente em um emprego que jamais aceitariam no Brasil, tipo babá ou garçom (aproveitando que aqui o salário é relativamente bom, dá para sobreviver e ainda guardar uma graninha para as viagens de final de semana). Os estudantes de pós-graduação, dependendo da profissão, depois de muito batalhar (e inclusive trabalhar de garçom ou babá) podem conseguir um trabalho ou um estágio na sua área. Aqueles que vieram para trabalhar normalmente são os mais estabilizados e conheço muitos que acabaram casando-se com espanhóis (alguns deles pelos papéis, mas eles se amavam muito – é sério). Os ilegais acabam trabalhando de qualquer coisa por salários muito baixos, por isso a fama de “amargados”, mas deve ser duro ser explorado.

Não me relaciono com qualquer brasileiro pelo simples fato de ser meu conterrâneo. Como disse ao principio, sempre selecionei minhas amizades. Em Sevilla, como em muitos lugares do planeta, está cheio de gente que ganha a vida por meios com os quais eu não concordo, desde prostitutas até cantores de pagode e axé (gostos são gostos) e já tive contato com esse pessoal, principalmente em bares brasileiros (dos quais eu fujo como diabo da cruz, pois eles não fazem em nada o “meu tipo” e infelizmente refletem apenas a cultura brasileira que pode ser “vendida” por aqui). Por sorte, não são todos os espanhóis que pensam que toda brasileira é bunda ou que o Carlinhos Brown é o melhor cantor do Brasil, mas muitas vezes este tipo de conduta “mancha” a nossa imagem.

Tem muito brasileiro por aqui que vive falando mal da Espanha e isso é outro comportamento que desaprovo. Eles reclamam muito e pensam que tudo é melhor no Brasil, a comida, as pessoas, o clima. Sinceramente, se aqui está ruim, por que não voltam para casa?

Enfim, fiz grandes amizades com brasileiros desde que cheguei aqui. Conheci muita gente legal de lugares onde nunca pisei no meu próprio país. Muitos já voltaram, mas ocupam um lugar especial no meu coração. Outros virão… e assim é a vida!

Visite o Coisa Parecida, blog pessoal da Glenda  que mora em Sevilla desde 2006. 

About these ads
39 Comentários leave one →
  1. jornalistana permalink
    01/12/2008 18:37

    Bravo Glenda! Concordo com vc 100%!
    Beijos.

  2. 02/12/2008 1:14

    Muito legal seu relato! Gostei principalmente dos dados sobre emigração citados no início do seu texto, mas sem dúvida, o seu apanhado sobre os tipos mais comuns de brasileiros ficou muito legal. Deu até para “visualizar” cada um deles. Agora…fiquei curioso: amigo carioca você não tem? seriam todos eles os cantores de pagode?? hehehe…sou carioca e me amarro num pagode, mas posso dizer que nem todo carioca gosta de pagode e nem todos vivem na praia o dia inteiro. (rs) Abs. Boa Sorte ae! PS. Suspeito que você tenha misturado português com espanhol ao dizer “Os motivos que traem os brasileiros à Sevilla”. Não?

  3. glendadimuro permalink*
    02/12/2008 9:05

    Pois é Caruos, já conheci alguns cariocas por aqui e nenhum era cantor de pagode (que eu saiba!)…hehehe…lembro que uma era jogadora de futebol e outra mora em Budapest há 3 anos estudando.

    Sei que não é desculpa para escrever errado, mas é que escrevo muito em espanhol, dai as vezes faço confusão. E olha que sempre releio os textos mais de uma vez tentando encontrar algum erro grande e esse passou batido! Minnha mãe diz que nos emails eu escrevo coisas estranhas…hahaha…eu tento revisar, mas quando estou mais relaxada acaba saindo algo em espanhol pela “proximidade” com o português. Obrigada pelo toque!

  4. 02/12/2008 12:52

    Imagino a confusão que deve ser mesmo. Bom, não escrevendo “mais grande” ou “mais pequeno”, já está de bom tamanho!!! (risos) Boa Sorte ae!

  5. 02/12/2008 13:28

    Será que brasileiro é igual no mundo todo? Eu poderia copiar seu texto todo e apenas mudar o país de “Espanha” para “Japão”. Esses personagens do cotidiano são muito vistos por aqui também, com a singela diferença de que, infelizmente, são muito raros os estudantes brasileiros no Japão. Eu encontrei menos de meia dúzia. Outra coisa difícil é fazer mochilão pelas ilhas. Viagem aqui é caríssima e as vezes ficar em casa se faz necessário. Mas parabéns pelo texto. Muito bem redigido como sempre!

  6. glendadimuro permalink*
    02/12/2008 13:34

    Caruso, confesso que escrever mais grande e mais pequeno eu não escrevo, mas é impossível não falar…hehehe… aqui todos compreendem, mas no Brasil vou ter que me cuidar para não soltar essa “pérola”.

    Shigues, pois eu não sabia que não tinha muitos estudantes no Japão… pior que todo mundo que eu conheço que foi prai foi trabalhar mesmo. Que coisa, por que será? Muito caro?

  7. 04/12/2008 11:53

    Muito bom, aqui em Portugal é mais ou menos como você escreveu…há também os “guetos” os ilegais e os que são explorados…e eu também passo longe dos bares “zucas” porque não faz meu estilo ouvir axé no último volume e falar gritando, mesmo que o companheiro esteja ao seu lado!

    bjos

  8. HIDERALDO permalink
    15/02/2009 21:23

    tenho esposa e filhas vivendo en Urbion – Ramon y Cajal, há seis meses, mas agora estão retornando ao Brasil, a minha filha mais velha, quer ficar en Sevilla para Estudar – estou tendo dificuldades para encontrar e alugar um piso, se puderes ajudar com isto agradeço, e segue meu e-mail para tal.

    gracias

  9. 19/05/2009 21:15

    Gostei do seu texto..bem redigido,com ideias claras…mas afinal o seu tipo de brasileiro que mora fora qual é?

  10. 20/05/2009 8:11

    Hahaha…bom, o meu tipo… não vim aqui “tentar a vida”, também não vim fazer festa. Vim fazer um curso de pós graduação e conhecer novas culturas e formas de viver.

    Normalmente, não falo mal dos espanhóis e nem da Espanha (só qdo me irrito com alguma coisa!). Não vivo no gueto, mas tenho vários amigos brasileiros que vou guardar no coração pra vida toda. Não frequento bar de brasileiros em Sevilla porque não gosto do astral de nenhum (nem das músicas e nem dos frequentadores – espanhóis e brasileiros) mas se um dia encontrar algum legal pelo caminho, com certeza virarei cliente.

    Quando cheguei, já trabalhei de garçonete, graças a Deus por pouco tempo. Logo consegui meu emprego de arquiteta, que por culpa da crise, foi pelos ares…

    Enfim, estou cumprindo com meus objetivos. Terminei o mestrado no inicio do ano e estou com o processo do doutorado. Talvez no final do ano, depois de 4 anos, eu tenha que arrumar minhas malas por culpa da falta de trabalho… será dificil, mas isso indenpende da minha vontade.

    Não sei bem que “tipo” de brasileiro no exterior eu sou, dificil colocar rótulos… amo a minha terra, mas gosto bastante de viver aqui.

  11. 21/05/2009 14:35

    Ahahaha…bem…tambem faço doutorado,mas por esse motivo tenho que “tentar a vida “aqui e nao é na minha area o trabalho ,nao pela crise mas pelo processo que demora para convalidaçao de titulo…isso vc deve sabar tambem…porém o únioco perfil de brasileiro que vc esqueceu ou nao percebeu ainda e que por sinal…abominoo..sao os brasileiros que bajulam e só tratam bem aos espanhois.Nao que eu nao goste de espanhois(tem muitos que eu gosto)e gosto muito da cultura espanhola…ainda que hoje morando fora dou mais valor ao nosso pais que antes…admito.

  12. 21/05/2009 15:09

    Quando me referi em “tentar a vida” falava daqueles que tem uma vida ruim no Brasil e vem pra cá tentar algo melhor, principalmente profissionalmente. Tentar a vida aqui é bem mais dificil e complicado, ainda mais em tempos de crise e com diploma brasileiro. Sei bem como é…

    Pois então, tenho uma conhecida que se encaixa bem nesse perfil que comentaste. Vive falando mal do Brasil e pensa que tudo na Espanha é melhor e perfeito…Enfim, tem gente de todo o tipo.

    E realmente, depois que a gente está de fora come´ça a apreciar as coisas boas do nosso país. Acho que acontece com “quase” todo mundo.

    Abraço!

  13. Lauro Antonio Basso permalink
    06/06/2009 8:36

    Ola Glenda, eu estava lendo teu relato e achei muito legal. Olha so, somos um casal de gauchos, eu 35 anos e Aline 28sem filhos, estamos em Sevilla desde março, eu sou italo-brasileiro, e trabalho em uma fabrica italiana daqui. Minha esposa chegou da Italia em fim de Abril, e estamos tentando arranjar algum trabalho pra ela. Vc teria alguma dica para nos dar? Outra coisas, queremos fazer amizade com pessoas legais, pra frente, pq estamos nos sentindo sozinhos aqui. Se vc poder nos ajudar seria muito bom. Nosso nick no Orkut é Aline e Lauro.Um grande abraço!!!!

  14. 07/06/2009 12:43

    Oi Lauro. Infelizmente não consigo trabalho nem pra mim nessa terra! A situação anda bem complicada…
    Me adiciona no msn pra gente conversar melhor: glenda.dimuro@gmail.com

    Abraço.

  15. Denise permalink
    24/09/2009 11:22

    Adorei seu relato…sou Baiana de salvador,casada legalmente com catalao..atualmente estamos em sevilla por trabalho.Deixo aqui meu e-mail caso queira fazer amizade com nosotros.
    saludos

  16. Inayá permalink
    28/10/2009 17:00

    Gostei muito. Foi muito útil seu texto, ainda mais para mim que etou no Brasil e pretendo estudar o ano que vem na Espanha, aí em Sevilla. Espero representar com seriedade, educação, hombridade o meu pais, assim como vc parece estar fazendo. Seu ponto de vista é exatamente o que precisamos saber (estudantes brasileiros) para não só viver bem aí, como também representar bem o lugar de onde viemos.Boa sorte.

  17. Cintia permalink
    04/01/2010 10:56

    Ola Glenda! Moro na Holanda desde 1999. Entre 3 e 10 de janeiro estarei em Sevilla na casa do meu noivo e gostaria de fazer uma feijoada aqui :)
    Voce pode me dar algumas dicas de onde encontrar produtos brasileiros, etc.
    Obrigada

  18. elizabeth cardozo permalink
    21/10/2010 20:00

    Oi Glenda.Gostei de saber dos Baianos. Sou uma formada na UFBA, em arquitetura e estou namorando um espanhol de Sevilla.Mas ele esta aqui á trabalho.Retornara fim do ano.Penso em passear e conhecer tudo que escreveu e mais.
    Ja que está tao informada ( e muito) arquitetura teria como execer a profissao, mesmo que em construtoras ou escritorios de engenheiros ?Gostaria de tracar ideia com alguem do seu gabarito.
    Gostei de suas palavras.
    BEJOS

    • 22/10/2010 1:30

      Oi Elizabeth, definitivamente não é o momento da construção civil na Espanha. Não há nenhum trabalho, nem para espanhóis e muito menos para estrangeiros. Desculpa a sinceridade, mas é a realidade, principalmente na Andalucía.

  19. Monise Martinez permalink
    22/10/2010 17:57

    Glenda, olá!

    Chegarei em Sevilla, se tudo der certo, em fevereiro de 2011 para estudar por um semestre na Universidad de Sevilla e gostaria de te pedir ajuda (se estiver ao seu alcance ajudar) com moradias.

    Estou me sentindo um pouco perdida e não sei direito como vou fazer quando chegar aí. Aqui em Sampa eu já moro sozinha (em rep) e tudo mais, mas trabalho e estudo, então tenho uma vida bastante organizada (e gosto disso) e tenho medo de acabar me enfiando em enrascadas.

    Enfim, queria te pedir umas dicas, uns contatos (caso você tenha) de onde ficar, hostels bons e não muito caros (acho que precisarei de um pra primeira semana se eu não conseguir arranjar uma casa daqui), coisas assim.

    Vc pode me passar o seu email para conversarmos melhor?

    Obrigada,

    Monise

    • 22/10/2010 20:10

      Oi Monise! Você já conhece meu blog Coisa Parecida? Lá tem um monte de dicas sobre viver em Sevilla e meu contato pessoal. Dá uma olhada neste post: http://www.coisaparecida.com/archives/1918
      Abraços!

  20. 12/04/2011 21:04

    Olá, estou pensando em fazer mobilidade acadêmica para Sevilha, na Espanha, e gostaria de informações sobre empregos ou estágios meio período pra estudantes.
    Pode ser algo em torno de 300 euros mensais.
    Obrigada!!
    Por favor, entre em contato comigo!!

    • 12/04/2011 21:13

      Não sei qual a sua área, mas se for do setor da cosntrução, esqueça. Até arquiteto eles quererm que faça estágio de graça.

  21. 12/04/2011 22:42

    Ola Glenda,
    Eu sou arquiteta e li sua resposta. E como está a previsão financeira e do mercado após estas eleições? Voce acha que em 2012 estará melhor ou com mais expectativas?
    Grande abraço e sorte sempre.

    • 13/04/2011 14:03

      Olá Elizabeth. A econômia tem uma previsão de recuperação lenta… lá em 2009 quando começou, diziam que apartir de 2011… Estamos em abril e a coisa não saiu do lugar. Eu não acreito que seja uma coisa rápida e a construção civil nunca mais vai ser como antes. O boom imobiliário acabou e duvido que aconteça de novo!

  22. 13/04/2011 16:46

    Desta forma, parece que a economia européia está falida ou ultrapassada.Engraçado , que para alguns espanhóis que teclo, o Brasil parace o El Dorado ou a luz no fim do túnel.
    Será que o “terceiro mundo” terá mais força? Como a China , de repente, entrou no mercado ?
    Caso de se pensar….

  23. 23/07/2011 22:20

    olá, gostaria de uma entrevista com alguém que já fez intercâmbio em Sevilha, gostaria de saber um pouco da experiência e algumas dicas para alguém que deseja fazer um intercâmbio!

    Obrigada, Ana Flávia

  24. 21/08/2011 9:53

    Muito legal cara, eu devo estar chegando em Sevilha no final deste ano, trabalho em navios de cruzeiros fazendo verão europeu, e, brasileiro. Fui fisgado totalmente por uma espanhola q vive em Sevilha, meu único receio é a questão de emprego, trabalho, não sei oq vai rolar entre eu e ela, mas quero viver o momento, espero q possamos manter contato, um abraço e fique com Deus

  25. Karina Brandao permalink
    23/10/2011 19:49

    Olá, sou Estudante de Mestrado na Universidade Nova de Lisboa, e pretendo fazer um Doutorado em Sevilha. Conheço os dois paises e vi
    que as diferenças sao gritantes. Os Portugueses sao conservadores, ignorantes e preconceituosos, tem que ter muita paciencia para se fazer um mestrado em Portugal, pois como sao tao inseguros, para passar em algumas disciplinas temos que aceitar a burrice deles. Moro em Portugal a 5 anos, mas graças a Deus consegui realizar os meuos objetivos. No entanto conheço Sevilha achei um lugar incrivel apesar da crise e otimo para que quer fazer uma licenciatura ou mesmo um mestrado sem contar o humor que é bem melhor que aqui.

  26. Carol Braga permalink
    21/06/2012 3:25

    Oi ! estou indo para sevilha para um congresso no FIBES em Avenida del Alcalde Luis Uruñuela, Seville, Spain. Vc sugere algum lugar para ficar lá??

    • 21/06/2012 8:50

      o FIBES é meio longe do centro da cidade e dos pontos turísticos.Acaba de ser inaugurado e não sei se existe algum hotel perto. Se existir, é do tipo grande hotel, não hostal.

  27. Christiano Coelho permalink
    01/08/2012 12:46

    Olá tudo bem ? Vou ficar em Sevilha por 5 meses e viajo agora no final do mês. Gostaria de saber se existe dificuldade em alugar apartamentos mobiliados, pois não consegui nada por aqui e vou ficar 3 dias em um albergue para tentar alugar um ap. Vou fazer doutorado sanduíche na Universidade de SEvilla. Agradeço a atenção.

    • 01/08/2012 19:19

      Olá! Encontrar um piso mobiliado às vezes pode demorar um pouco mais que 3 dias… ALugar um quarto é mais fácil. Aqui eu conto tudo o que sei: http://www.coisaparecida.com/2010/08/alugando-um-cantinho-em-sevilha/
      Qualquer coisa me escreve um email que estou alugando um quarto por dias. Boa sorte!

      • Christiano Coelho permalink
        31/08/2012 20:44

        Oi Glenda, cheguei em Sevilha na quarta e desde então estou a procurar um piso, mas todos querem por longa temporada. Estou ficando em um albergue ao lado da Plaza Encarnacion e começando a ficar preocupado com essa situação. Preciso de um piso pois minha esposa e filhas vem em novembro e ficará mais fácil. Se puder me ajudar em algo vou agradecer muito.

      • 31/08/2012 22:54

        É assim mesmo, não se aluga da noite para o dia. Leva em média 15 a 20 dias. Procura nos murais da Universidade, nos diversos campi,que sempre tem ofertas para estudantes. Qto tempo pretendes ficar?

      • 31/08/2012 22:57

        Ja vi, 5 meses… Mas relaxa, demora um pouco mesmo… E agosto é um mês dr fériad em Sevilla, os ritmis sao outros. Boa sorte!

  28. karina permalink
    28/05/2013 18:58

    Oi Glenda!! Boa tarde!!! Meu nome é Karina e estou morando em Sevilla ha apenas 3 meses. Ainda estou naquela fase corrida de ir a extranjería para legalizar mina situaçao no país. Estou morando com meu namorado que é español e estou sentindo muita falta de conhecer e ter amigos brasileiros por aquí! Vi seu texto e gostei muito, estou entusiasmada com a nova vida , mas tambem estranhando um pouco as mudanças!! Enfim.. tive vontade de te escrever, ate porque ainda nao fiz grandes amizades por aquí! Se pudesse me dar alguma dica de lugares onde poderia encontrar mais pessoas do nosso país para dividir a experiencia de estar tao longe do nosso amado Brasil! Um abraço

    • 29/05/2013 7:52

      Oi Karina! Bem vinda a Sevilla. A comunidade de brasileiros em Sevilla já foi mais forte. ANtes até faziamos alguns encontros, mas a verdade é que há tempos está tudo meio parado. Muita gente foi embora e hoje em dia tenho poucos amigos brasileiros ainda vivendo aqui. Mas uma dia para você que está chegando é tentar se relacionar com o pessoal do lado de cña, sejam espahóis ou outros estrangeiros, assim aprendes melhor o idioma e não fica tão “saudosa”. Onde vc mora? Podemos marcar um café qualquer dia. Boa sorte!

  29. Rafaela permalink
    09/09/2013 15:51

    Olá! Adorei o post! Sou de Minas e vim morar aqui em Sevilla por 6 meses! Ja tenho alguns amigos estrangeiros, mas gostaria muito de dicas pra ajudar a matar a saudade de alguma comida parecida com a nossa! haha saudade de um bom feijão! :)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 941 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: